Guia dos Solteiros

Como trabalhar em casa e fazer valer a pena

 

Poder trabalhar em casa é o sonho de muitos: fazer seu próprio horário, usar pijama enquanto trabalha, tirar uma soneca durante à tarde… Nem tudo são flores. Quem trabalha em casa precisa ter muita organização para não se perder.

Como trabalhar em casa e fazer valer a pena

 

Horários

Não é porque você trabalha em casa que você não precisa ter regras quanto ao horário. Escolha um horário que se encaixe melhor no seu calendário e se prenda a ele. Seus clientes vão te respeitar mais e não vão ligar sábado de madrugada. Além disso, você evita que o trabalho se acumule e tenha que virar madrugadas para conseguir terminá-lo.

Largue a preguiça

Ficar sentado no sofá o dia todo não fará seu telefone tocar. Corra atrás, publique seus trabalhos, dê as caras, invente moda. Alguém pode gostar.

Como trabalhar em casa e fazer valer a pena

Ginástica laboral

Isso mesmo. Nada de ficar o dia todo sentado em frente ao computador (até porque, se você for que nem eu, seu trabalho e entretenimento caminham de mãos dadas nesse magnífico mundo virtual). Pratique exercícios, ou pelo menos dê uma caminhada pela casa de hora em hora e alongue os músculos. Parece bobagem, mas além de bom para o corpo é também ótimo para não se estressar à toa com seus clientes (que agora também são seus chefes, afinal, eles te pagam).

Contatos

São tudo nessa vida, não é mesmo? Tenha muitos contatos e sempre esteja “visível”. Isso significa que, principalmente quem trabalha em casa, precisa estar sempre em contato com as pessoas do “mundo exterior”. Faça cursos, seminários, saia e vá para a rua.

Como trabalhar em casa e fazer valer a pena

Aprenda

Os seminários e cursos não valem somente para o networking e para o currículo. Eles também servem para – wait for it – aprender. Essencial para todos, mas principalmente para quem batalha sozinho em casa, é saber. Já dizia meu querido pai, “podem tirar tudo de mim, mas o conhecimento ninguém me tira”. E pode ter certeza, muita gente vai querer te contratar pelo seu conhecimento.

Quer ler mais sobre isso e aprender a administrar suas finanças trabalhando com freelas? Indico fortemente o livro “Quanto custa o meu design?”, do André Beltrão.


Juliana Cogo é diretora de arte freelancer e escreve
para o Guia dos Solteiros nas horas vagas.

15 comentários