Guia dos Solteiros

Mãe solteira: O desafio de uma gravidez sem um companheiro

Ser mãe é um desafio e tanto, porém, sem um companheiro ao lado esse desafio é ainda maior. Hoje em dia ser mãe solteira é uma realidade cada vez mais comum: no Censo de 2010, o IBGE descobriu que 38,7% de 57,3 milhões de domicílios brasileiros são chefiados por mulheres, sendo que, na grande maioria dos casos elas não tem cônjuges e tem filhos.

São muitos os motivos que levam uma mulher a encarar uma gravidez sem o apoio do pai do bebê: gestação indesejada, relacionamento abusivo, gestação decorrente de situação de violência, incompatibilidade de gênios, ou apenas o desejo de produção independente, enfim. Seja qual for o caso, você não está sozinha.

Independente de qual for o motivo para encarar essa prova sem o pai do bebê por perto, é importante que você esteja preparada para enfrentar o desafio. Para tanto, você precisará de apoio, compreensão e também uma boa dose de força e informação.

Pré-Natal na gravidez

Mãe solteira pre-natal

Seja quais forem as circunstâncias, é importante ter um pré-natal adequado desde quando vierem os primeiros sintomas de gravidez. Sozinha ou acompanhada pela família ou por amigos, não deixe as consultas de lado. Elas são importantes para garantir uma gravidez tranquila tanto para a mamãe quanto para o bebê, portanto é fundamental para o bem estar de ambos.

Esse profissional também poderá orientar melhor a mulher sobre os cuidados durante a gestação até o nascimento do neném, assim como orientar a respeito dos seus direitos nesse momento, como por exemplo a lei do acompanhante do parto. É importante que a futura mamãe possa ter todas as informações para poder planejar o que for possível com antecedência, em especial a forma de fazer valer os seus direitos.

Alimentação na gravidez

Mãe-solteira-alimentação

Cuidar de si mesma é sempre importante, porém esse gesto é mais necessário ainda durante a gravidez. Afinal agora existe mais alguém que depende de você. Nesse caso, mantenha-se atenta à alimentação e também a prática de exercícios físicos, já que essa é a base para manter a saúde durante esses nove meses, a menos que exista alguma contraindicação ou instruções específicas por parte do obstetra.

Nada de cigarro ou bebida, assim como alguns tratamentos para pele e cabelo que não são indicados durante a gestação e amamentação. E nada de pegar muito pesado com o trabalho ou com tarefas de casa. Se for possível, relaxe e descanse. Sabemos que é mais fácil com um companheiro por perto, que lá no fundo queremos nos sentir cuidadas por alguém, mas na falta dele, é preciso pensar em dois.

Conte com apoio da família e dos amigos

Mãe-solteira-apoio

Ser mãe solteira pode ser algo bastante solitário, em especial se não houver o apoio familiar. Porém, se você puder contar com o apoio das pessoas queridas, não os deixe de lado, nem tenha medo de pedir auxílio. Muitas mulheres – em especial aquelas que optaram pela produção independente – procuram fazer tudo sozinhas e podem esquecer que também precisam de ajuda, principalmente quando a gestação estiver no final, e também no pós-parto.

Lembre-se de que você não é – nem tem de ser – uma super-heroína. Se alguém de confiança está oferecendo apoio, aceite, pois você não precisar ser uma mãe solteira morando sozinha.

Entre em contato com outras mães

Mãe-solteira-amigas

Seja qual for a circunstância que a colocou na situação de mãe solteira, a verdade é que você não está sozinha. Essa é a realidade de muitas outras mulheres, então é importante contar com o apoio de pessoas que passam pela mesma situação.

Sendo assim não deixe de conversar com outras mães solteiras ou até mesmo aquelas com maridos super ocupados ou sem grande interesse na criação dos filhos, já que a situação de solidão é algo que vocês provavelmente terão em comum.

Hoje é bem fácil se enturmar com esses grupos de mães, mas uma boa forma de começar é justamente pela internet já que não faltam fóruns sobre maternidade. Além disso, amigos em comum podem apresentar outras mães em situação parecida. Não importa qual seja o meio, com certeza você poderá aprender muito e também fazer boas amizades.

Planejamento é tudo!

Mãe-solteira-planejamento

Ter um bebê, mesmo que a gravidez tenha sido uma surpresa, é algo que requer algum planejamento. E se você for mãe solteira isso é mais indicado ainda, afinal o trabalho começa desde cedo.

Itens como enxoval, móveis e coisas que tanto o bebê quanto a mãe poderão precisar durante as primeiras semanas pós-parto são assuntos que podem ser pensados com calma desde cedo, evitando assim maiores estresses durante as últimas semanas de gravidez.

O planejamento financeiro também é importante, já que sustentar um bebê é algo que requer muitos gastos e, dependendo de sua situação, qualquer centavo gasto precisa ser investido com cuidado. Mas lembre-se de que isso não significa “sofrer com antecedência”.

Exija seus direitos

Mãe-solteira-direitos

Infelizmente é comum tomar conhecimento de histórias sobre homens que não reconhecem a paternidade de seus filhos, mas isso não deve te intimidar. A menos que você esteja tentando manter o máximo de distância possível do pai da criança, é preciso ao menos exigir aquilo que é o direito do bebê: a paternidade reconhecida e pensão alimentícia.

Afinal você não fez a criança sozinha e ele também deve contribuir para o sustento do filho ainda que não participe de sua criação, como seria o ideal.

Não guarde rancor

Mãe-solteira-rancor

Muitas mulheres nessa situação guardam um imenso rancor a respeito do pai do bebê, afinal não é raro ver quem se recuse a assumir a paternidade ou a contribuir para sua criação. Porém, a longo prazo, esse sentimento não faz nenhum bem, seja para a futura mamãe ou para o bebê. Mesmo porque, em algum momento o seu filho começará a fazer perguntas sobre o pai, e o mais indicado será a sinceridade.

Também pode acontecer do pai do bebê querer passar a ter contato com a criança, e isso você não poderá impedir. Nesse caso, por mais difícil que seja, não fique alimentando ou remoendo os sentimentos ruins: vire a página e siga em frente.

Não se culpe

Mãe-solteira-culpa

Uma armadilha bastante comum para mães solteiras é crer que ela deveria ter “se esforçado mais” para proporcionar uma estrutura familiar tradicional para o bebê, mas ela precisa deixar esse sentimento de culpa de lado. Isso porque provavelmente o relacionamento com o pai do bebê não teria dado certo.

Tanto a mulher quanto o bebê merecem mais do que um lar no qual o par está desgastado e não existe mais respeito ou afinidade entre o casal.

Cuidado com a vida amorosa

Mãe-solteira-vida-amorosa

A vida amorosa de uma mãe solteira sempre é alvo de especulação e de mitos. Há mulheres que buscam rapidamente alguém que possa preencher o vazio de uma figura masculina a quem seu bebê possa considerar um pai.

Já outras podem temer que sua maternidade nessas condições espante os homens. Mas não precisa ser assim: não precisa ter pressa ou medo de voltar a ativa no amor. Relaxe, vá com calma e aproveite o momento.

Invista em si mesma

mãe-solteira-estudando

Se puder, mesmo que seja cansativo, continue investindo em você, em especial em sua educação e em sua carreira. Esse é o diferencial para ter condições de oferecer um futuro melhor ao seu bebê, seja adquirindo condições financeiras para suprir todas as necessidades, ou mais tarde, incentivando seu filho ou sua filha a se dedicar aos estudos desde cedo. Dar o exemplo é fundamental.

Não dê ouvidos ao preconceito

Mãe-solteira-preconceito

Muita gente torce o nariz quando ficam sabendo que alguém é mãe solteira. Muito provavelmente você encontrará algumas pessoas desse tipo por aí – ninguém está livre disso – mas dar importância ao que eles dizem é uma decisão sua.

Afinal, todo mundo critica de qualquer forma: se engordou, se não engordou, se tem mais de um filho, se a gravidez foi inesperada… ou seja: as críticas existirão de todo modo. Você não tem que agradar a todo mundo.

Esteja segura de si mesma e daquilo que deseja e não dê ouvidos aos preconceitos das outras pessoas. Família tradicional – com pai, mãe e criança – não é garantia de felicidade ou normalidade para ninguém. O importante é que haja amor: é disso que você não deve abrir mão.

Não se anule

mãe-solteira-feliz

O fato de estar grávida e muito em breve ser mãe não significa que você deva se colocar em segundo plano. Trabalhe, estude, tenha um tempo para si, cuide-se, ame e divirta-se! A maternidade é algo que exige dedicação e responsabilidade, mas não deve significar um impedimento de sua vida. Faça planos, vá a luta e seja feliz.

Confie em si mesma

mulher-grávida-confiança

Conforme já dissemos, ser mãe é um desafio e tanto. Estar sozinha então deixa a situação ainda mais estressante, mas é normal. Sim, é absolutamente normal ter dúvidas de última hora, sentir insegurança, pensar que não vai dar certo, que você não vai dar conta ou que não é capaz, mas relaxe. Ninguém nasce sabendo e, mais do que dar a luz, ser mãe é um processo de constante aprendizado.

Lembre-se: você pode não saber muita coisa agora, mas com certeza vai aprender com o passar do tempo. Confie no seu taco, orgulhe-se e dê tudo de si.

21 comentários

      • Boa noite. Tudo que voce mulher esta. Passando po uma gravidez que nao tem um pai ç
        Para assumi seu filho
        Nao fique chatiada seja forte
        A sua maior felicidade e seu bb
        Nao um homem covarde que sumiu
        Entao que Deus abencoe voce manae
        Vai dar td certo
        Gostaria de faze amizade
        Com voce mamae
        Si tive disponivel pra amizade.

    • Ola Sr. Nicola… Li seu post e achei interessante… Pois é mto dificil achar pessoas q querem ajudar….
      Bom… Estou passando por uma gravidez de rico e pra completar sozinha … Ta muito dificil passar por tdo isso sozinha…. Nao sei se o Sr. Ainda vai ler esse comentário. .. Mas eu deixo aq um pouco da minha situaçao….

  • Boa noite , já fui casada por 9 anos estou divorciada tem 11, tenho uma filha de 19 anos que mora sozinha, tbm moro sozinha e minha filha esta na fase individualista, então estou sozinha nessa, engravidei de um relacionamento curto, depois que parei de Tomar anticoncecional para colocar o dia, tive uma relação com preservativo que rasgou, tomei a pílula do dia seguinte que não funcionou, o pai do BB queria que eu abortasse, então me afastei dele, meninas somos fortes, se Deus escolheu nos mulheres para gerar uma vida, para dar a luz a um novo ser e porque somos abençoadas e não estamos sozinhas, tire forca desse BB lindo que estão gerando dentro do seu ventre
    É divino, sublime , força meninas acredito em vcs,eu treino, trabalho, me divirto, tenho amigos, bora sorrir para essa nova vida, tenho 36 anos, estou gravida de 5 meses e feliz.

    • Gente estou vivendo a mesma situação o pai nao aceitou e me dispensou ,ja tenho um filho um de 1,11 meses me vi desesperada pensei ate me me matar. Mas pensava no meu filho ele não merece isso vou ser forte , vou lutar por essa vida nem que seja sozinha.

  • Serei mãe solteira
    Me sinto perdida e não sei por onde começar, ainda não tenho nada e não sei por onde começo 😢.
    Se ainda tiver alguém pra conversar
    ..

  • Alguém conhece algum grupo de apoio em Curitiba para mães solteiras?
    Estou com pouco tempo de gestação, mas estou literalmente sozinha, sem emprego e sou muito orgulhosa. Preciso muito conversar com pessoas nas mesmas condições e tentar me acalmar um pouco.

  • To perdida , e muito triste União por água baixo e agora uma gravidez , to feliz sempre quis ter um filho , é o meu primeiro , sempre sonhei em ter uma família, infelizmente não vai ser assim , tá difícil , não tenho nada pro bebe , mais tenho fé em Deus . Vou ser mãe solo , mais digo que meu bebe vai ter a melhor mãe do mundo , vou dar todo amor e carinho .

Receba nossos artigos por e-mail:

Digite seu email:


Política de Privacidade