Guia dos Solteiros

Recebendo visitas – Dicas para não surtar!

Além de ter saído de casa, me mudei para outra cidade, que fica em outro país e, para completar, é um destino turístico. Isso significa que de vez em quando vou receber visitas, o que é super legal mas precisa da colaboração do anfitrião e do hóspede pra não virar uma dor de cabeça coletiva.

Separe os amigos dos conhecidos

Morar em um lugar legal significa ter “amigos” reaparecendo de todos os lugares. Gente que morou perto da sua casa por anos e nunca te ligou, passa a sentir saudades e esperar que você dedique seu tempo e ofereça o seu teto. Esses são os que você pode enviar uma listinha de hotéis bacanas e desejar boa sorte. Porque lá no fundo você sabe quem é amigo de verdade e merece ocupar um lugarzinho na sua casa por alguns dias.

Seja sincero

Às vezes é difícil pra visita entender que você não está no mesmo ritmo, por mais que tente. Muito disso está relacionada a algo muito importante: dinheiro! Por isso, nada melhor que abrir o jogo logo de cara. Isso vale também pros programas que você não é exatamente muito fã. Comigo já aconteceu de ter visita que queria ir pra balada, e eu sou a pessoa menos baladeira do planeta. Meu princípio é: pra alguém estar na minha casa tem que saber o mínimo sobre mim, além de estar aberto pra esse típico de “não”. Nesse caso, ofereci alguns amigos que podiam levá-la pra night (a visita era minha irmã!), mas ela acabou o dia tão cansada de bater perna que acabou deixando pra lá. É importante ser sincero também se você simplesmente não puder receber ninguém, seja porque não é um bom momento, porque não tem espaço, porque está se mudando, etc.

Não tente planejar tudo

Eu sou meio psicótica com detalhes e me preocupo muito em ser uma boa anfitriã. Quero que a visita se sinta super bem e quero fazer tudo o que eu puder por ela. Acabo ficando ansiosa e a visita no final das contas está muito mais tranquila que eu, querendo se surpreender com a viagem. Estou por receber uma visita e dessa vez fiz uma lista de tudo o que acho interessante. Vou dar a lista na mão dela e deixar ela escolher, assim ela fica livre pra decidir e eu sinto que, de alguma forma, ajudei.

Seja paciente

As circunstâncias das minhas visitas são sempre parecidas: pessoas que vem pra um lugar novo, querem conhecer tudo, às vezes querem comprar tudo, e quase sempre não falam o idioma local. A maratona é complicada, mas é por poucos dias! Melhor abstrair e aproveitar, encarando como uma forma de redescobrir o lugar onde mora.

turistando
Turistando (pela terceira vez) em San Telmo

Se preocupe

Eu confesso que sou o extremo da preocupação, mas faço o que gostaria que fizessem se eu fosse a visita. Procuro me colocar no lugar deles e dou instruções que acredito serem úteis: “como pegar ônibus e o que falar pro motorista” ou “como pedir informação na rua”. E além disso, me preocupo se tem as coisas básicas na casa, se a pessoa vai sentir frio a noite e coisas do tipo.

Deixe bilhetes

Bilhetes com instruções quebram galho. Já deixei bilhete no banheiro quando recebi visitas pra jantar em casa, pedindo que não joguem papel no vaso. Se você não abre mão de um certo costume em casa (pode ser tirar os sapatos pra entrar, por exemplo), um bilhetinho ou cartaz simpático são úteis. Na dúvida, desenhe uma carinha feliz no final e tudo fica mais amigável 🙂

Aceite que a sua rotina vai ser interrompida

Não tem como fugir, o banheiro não vai ser só seu, seu tempo também não, assim como sua geladeira, seu espaço, etc. E no final das contas, ninguém vai morrer por alguma coisa fora do lugar, por um cabelo a mais no chão do banheiro ou até mesmo se alguma coisa quebrar.

Aproveite!

Receber visitas nada mais é que ter a sorte de estar perto de gente querida, pelo menos por um tempinho. Então esquece qualquer frescura, ter família e amigos de verdade por perto supera qualquer coisa 🙂

Recebendo visitas – Dicas para não surtar!
5 (100%) 1 vote

2 comentários

  • Ai, Luiza… Super te entendo. To morando em Buenos Aires faz pouco tempo e ser anfitriã é meio complicado, hehe. Ainda mais que eu também sou do tipo que quer ajudar.

    Beijos