Guia dos Solteiros

Saiba tudo sobre a toxoplasmose ocular

A toxoplasmose é uma doença bastante conhecida pela maioria das pessoas, mas o tipo ocular da doença nem tanto. A toxoplasmose ocular é uma doença causada pelo parasita Toxoplasma gondii e é um problema global, afetando cerca de um terço da população mundial. A doença pode causar baixa visão ou até mesmo cegueira.

De acordo com recentes pesquisas, constatou-se que 77% da população brasileira tem consciência de que a visão é um sentido de extrema importância e, portanto, inspira atenção especial. Contudo, quando o assunto é a preservação da saúde ocular, por meio de visitas periódicas ao oftalmologista, a maioria das pessoas, entre 25 e 65 anos, acaba deixando esse cuidado de lado. A Organização Mundial de Saúde estima que entre 60% e 80% dos casos de cegueira são evitáveis ou têm cura. Isso significa que quase 700 mil brasileiros cegos poderiam estar enxergando se tivessem recebido tratamento precoce.

O que é a toxoplasmose ocular?

Saiba tudo sobre a toxoplasmose ocular

A toxoplasmose é uma doença infecciosa causada pelo parasita Toxoplasma gondii, um protozoário intracelular que infecta grande parte da população mundial (13% a 50%). O Toxoplasma gondii está presente em todos os continentes do mundo, porém, as taxas de infecção nos países tropicais são mais altas, em razão da temperatura e umidade mais elevadas, fatores favoráveis à maturação do parasita no solo. A doença pode ser transmitida através da ingestão de cistos do parasita (verduras contaminadas e carne mal cozida) ou durante a gestação.

O professor Rubens Belfort, da Clínica de Olhos Belfort, foi um dos responsáveis pela explicação sobre as formas de contágio da doença aceitas atualmente. O oftalmologista é dos maiores especialistas da doença no mundo e contribuiu para elaboração do estudo que obteve êxito em reduzir a frequência das recorrências oculares e continua participando de pesquisas e estudos que buscam novas técnicas para diagnóstico e tratamento da Toxoplasmose Ocular.

Principais sintomas

Os sintomas mais frequentes da toxoplasmose ocular são a baixa da acuidade visual e o surgimento de “mosca volante”, sintoma no qual o doente tem a impressão de que há uma espécie de sombra móvel no campo visual com visão de pontos pretos flutuando na frente dos olhos. Outro sintomas são: vermelhidão ocular, dor ocular e fotofobia (sensibilidade grande à luz).

 

A toxoplasmose ocular pode causar lesões na parte do fundo do olho, chamada de coriorretinite, que acomete a retina e a coróide. Observe bem os sintomas, pois eles servem como alerta para que o paciente busque um ajuda médica o mais rápido possível, por meio de exames.

 

O diagnóstico da toxoplasmose ocular é feito pelo exame de fundo de olho com as pupilas dilatadas. É quando o oftalmologista encontra a lesão típica do toxoplasma. De forma geral, não é necessário exames de sangue para detectar a doença, embora a sorologia negativa possa excluir a doença. Nos casos de infecção recente, tampouco o exame de sangue seria eficaz. E se a infecção foi adquirida e depois de meses ou anos o paciente apresenta a lesão o exame também não ajuda.

Tratamento

Saiba tudo sobre a toxoplasmose ocular

O tratamento da toxoplasmose ocular é feito com uso de antibióticos como sulfadiazina e pirimetamina, associados ao ácido folínico. Caso a doença ocorra durante a gestação, é utilizada a espiramicina. Para aliviar o desconforto ocular utiliza-se colírios de corticóide e cicloplégicos, que dilatam a pupila. Em casos raros é necessário recorrer a medicamentos intra-oculares ou laser.

 

Muito raramente é necessário tratamento cirúrgico, quando ocorre deslocamento de retina. Em alguns casos, os pacientes sofrem com recorrências frequentes e então precisam administrar remédios por longo tempo com objetivo de evitar ou diminuir as crises. Ainda não há tratamento que consiga reparar as áreas afetadas e recuperar a visão.
Artigo escrito pela equipe da Clínica Belfort. Este artigo contêm apenas informações gerais sobre doenças oculares. Este texto não substitui a avaliação por oftalmologista.

1 comentário