Guia dos Solteiros

Empréstimo pessoal – 10 dicas para você não se enrolar com ele!

Muitas vezes o orçamento aperta e precisamos da ajuda de um empréstimo pessoal, mas é preciso cuidado para não se enrolar com ele, confira nossas dicas!

Que as pessoas que moram sozinhas passam apertos com o bolso todos nós sabemos, e inclusive já falamos sobre o assunto várias vezes, como nos artigos:

Economia: 7 novas dicas para o solteiro economizar dinheiro!

 Conheça 10 dicas para economizar dinheiro e equilibrar suas finanças 

 

Mas algo que acaba sendo um mal necessário as vezes é o empréstimo pessoal, uma quantia em dinheiro que dá aquela ajuda em um momento de crise, e que pode ser retirada em bancos e financeiras, mediante uma certa taxa de juros que é cobrada mensalmente. O empréstimo pode ser mesmo uma “senhora ajuda” mas é preciso ter cuidado, e sua aquisição bastante planejada, para que essa ajuda não vire um problema muito maior. Por isso, o Guia Dos Solteiros vai te dar uma forcinha, afinal, estamos sempre aqui pra ajudar vocês, não é verdade? Separamos algumas dicas que pesquisamos e também colocamos um pouco da nossa própria experiência pessoal nelas. Confira conosco e sinta-se livre para contar suas experiências ao fim do artigo, afinal, quanto mais informação melhor, não é mesmo?

emprestimo pessoal

Empréstimo pessoal – dicas para não se enrolar

1- Parece óbvio, mas muita gente ainda escorrega nessa: sempre desconfie de empresas que oferecem taxas abaixo do mercado ou muitas facilidades. Além de correr o risco de existirem “pegadinhas”, você pode estar até contribuindo para o crime de “lavagem de dinheiro” sem saber.

2- Empréstimos com parentes ou amigos: Pois é, eu sei, são quase irresistíveis, mas envolvem não só dinheiro como também o relacionamento. Por isso, deve partir de você a proposta de pagar juros e de assinar uma nota promissória, os quais irão ajudar a preservar a confiança e a amizade. Sinceramente, quando possível, prefira ir em um banco ou financeira para evitar dores de cabeça.

3- Cuidado com a prática de “venda casada” – Contrair um empréstimo não deve ser algo vinculado a uma vantagem da instituição que irá fornecer o dinheiro. Muitas pessoas acabam  “comprando” seguros de vida, residência e mesmo consórcios para “melhorar a relação com o banco” que liberou o empréstimo e facilitar a conquista das metas da instituição. Isso acaba te atrapalhando e lhe fazendo ter gastos desnecessários.

4- Cuidado com os prazos – Uma das piores armadilhas na hora de pegar empréstimos é se concentrar no valor da prestação e se ela cabe no seu orçamento. Contudo, isso pode significar uma dívida quase infinita, a ser paga em 50 vezes, por exemplo. O ideal  é conciliar o prazo da dívida com a razão pela qual a dívida está sendo contraída.

5- Faça um empréstimo baseado apenas nos seu orçamento, não acredite em ofertas “maravilhosas”, nem confie no dinheiro que está por vir. Pense apenas no que você tem.

6- Conhecer o banco ou a instituição financeira é primordial, procure saber sobre a credibilidade da empresa, o tratamento para com os clientes. Não  há vergonha em contar aos amigos que vai pegar um empréstimo, converse com eles sobre experiências, troque informações. Muitas vezes alguém pode lhe alertar para detalhes importantes em que você não havia pensado.

7- Cautela nos consignados – O empréstimo consignado sempre é debitado da conta corrente, você não precisará pagar nenhum boleto ou algo do tipo. E outra coisa que é relevante saber é que só é permitido que você use 30% do seu salário para fazer empréstimo consignado, isto está em lei. Caso alguém ofereça uma porcentagem maior, cuidado! Pode ser uma fraude.

8- Atenção ao CET (custo efetivo total) – não aceite conhecer apenas as taxas de juros. Exija que lhe informem o CET, que inclui os custos que vão cair sobre o montante emprestado: juros, IOF e também a taxa de abertura de crédito.

9- Se houver um objetivo específico, como a compra de um carro ou um eletrodoméstico, há outras opções com melhores condições para aposentados e funcionários públicos. Investigue também se a empresa onde você trabalha tem um convênio para crédito consignado que possua taxas mais baixas que o praticado normalmente no mercado.

10- Muitas instituições financeiras oferecem junto ao empréstimo pessoal um seguro para garantir a quitação da dívida caso haja morte, invalidez ou desemprego, informe-se sobre esse serviço ao contratar um empréstimo.

Conclusão

Bom caros solteiros e solteiras, esperamos ter ajudado com essas dicas. Dar conta de uma casa sozinho(a) é uma tarefa que nem sempre é fácil, sabemos disso. Não há nenhum problema em recorrer a um empréstimo, mas tenha cuidado para não virar algo frequente e também para não se enrolar com os juros, ok?

Referências: Emprestimo Consignado e Revista exame

Dê sua nota.

Adicionar comentário